Marcelo Rezende fala pela primeira vez após internação

< Voltar
Marcelo Rezende fala pela primeira vez após internação

O apresentador Marcelo Rezende postou nessa terça-feira, 16, a primeira foto nas redes sociais desde a sua internação. Ele recentemente foi diagnosticado com câncer no pâncreas, que irradiou para o fígado. O carioca Marcelo Rezende foi internado no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na última segunda, 15.

 

 

 

A imagem divulgada mostra Marcelo tomando café-da-manhã na cama, com a seguinte legenda: "Não há enfermidade que abale a minha FÉ e a minha ALEGRIA em DEUS." Em vídeo publicado na manhã desta quarta, 17, ele fala sobre a espécie de "retiro espiritual" que está fazendo há sete dias, com "orações, leituras de textos sagrados e reflexões sobre a vida". "Só não fiz jejum porque estou fraco", esclarece na publicação.

Em entrevista no último fim de semana, exibida no Domingo espetacular, da Record, o apresentador afirmou: "Eu não posso mentir, fazer cara de sofrimento. Vocês não vão me ver chorando, triste, desesperado. Saio daqui para fazer quimioterapia. Estou com cara de desesperado? Não. Por uma razão: desde que eu sou criança, eu tenho uma absoluta confiança e conhecimento de Deus", revelou ele, que tem 65 anos e cinco filhos.  

"Eu não tenho medo da morte", garantiu, em meio a declarações sobre fé, obediência e gratidão a Deus. ""Eu tenho cinco filhos de cinco ex-esposas. Quem vence cinco ex-esposas com cinco ex-sogras vence qualquer coisa", brincou. O amigo Geraldo Luís, apresentador do Domingo show, interrompe a entrevista com uma ligação e depois aparece na casa dele para levá-lo ao hospital.

Rezende definiu o momento pelo qual passa como "difícil, mas não definitivo" e demonstrou muita confiança na recuperação. "Meus filhos ficaram alucinados, perturbados. e eu sento com eles e digo 'calma'", contou o apresentador. Aos fãs, o jornalista pediu, assim como já havia feito nas redes sociais, orações. 

O apresentador conhecido pelos bordões "corta para mim" e "comandante Hamilton" descobriu a doença há cerca de um mês. O primeiro sintoma, contou, foi acordar muito cansado em um dia que chegou a abrir um vinho, mas perdeu a vontade de tomar. "O segundo sintoma: quando acordei, ia na padaria comer um pão com queijo, na sexta-feira. Mas, quando acordei, não quis ir", relembrou. A falta de apetite e a aversão ao vinho, uma espécie de ritual dele, acenderam o sinal de alerta. Na semana seguinte, ele foi submetido a exames que identificaram o câncer.